quinta-feira, 1 de novembro de 2012

Na Capa do Incapaz

Há nada que me apraz. 
Atrás, atrás, o breu, 
a ausência, o ohm, o eu. 
A capa do incapaz. 

 O tênue da frequência — 
um som que se não faz 
de louco, doudo ou mais: 
é doce ou de indolência. 

Um barulho frequente e destoante 
assoa pelas lutas do incapaz: 
ouve-se uma esperança; ouve-se a paz,
pra logo emudecer no mesmo instante. 

E mudo, dou um tapa 
na traseira do mundo! 
Um som a me aprazer por um segundo 
pra noutro me esconder detrás da capa...

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Por favor, viaje comigo.