segunda-feira, 5 de outubro de 2009

O Impulso Perene


Amar: desejo que não se desfaz
Em toda vida, é o impulso perene
O viso de energias fulgurais
que brilha, ri: de escuridão não teme...

Amar: um prato de emoções plurais
que se degustam os d’alma solene
e levam às estradas guturais
o coração, em pulsação infrene...

Amar: é o que tentei, mas já não ouso
amar pouquíssimo. Lauto amaria
deveras, sinto, enlouqueceria...

Por viciar no alimento que pouso
o paladar: pois que sabor superno!
Amar: a prova que me torno eterno...

Um comentário:

  1. Que soento bonito. Nos tira o ar para ler..belas rimas, como sempre!
    Beijos

    ResponderExcluir

Por favor, viaje comigo.