quarta-feira, 28 de abril de 2010

Reencarnado

Uma vez quando morri
almejei uma nova vida.
(O céu era utopia!)
Cheguei a barganhá-la
num camelô espiritual;
num leilão de arrependimentos.

Trabalhei para o diabo
amassando pães,
e contratando almas.
Comprei minha reencarnação.

Hoje, entre os homens
comendo o Pão
e vivendo com as almas
tudo que desejo
– enquanto vivo –
é na boca, novamente,
aquele gosto doce de enxofre...

4 comentários:

  1. Tem um selo para o teu blog lá no Palavras e Imagens.
    http://www.marquesiano.blogspot.com
    Parabéns!
    Beijos.

    ResponderExcluir
  2. hey ft, nem sei como me descobriu cara!...hehehe
    valeu a visita no meu blog (tão cheio de poeira).
    fiquei feliz velho, sabe que, mesmo com toda sua humildade (isso é um valor enorme) eu gosto de seus escritos!...mostra que tens realmente talento e conhecimento de poesia.

    Eu sou só um garoto começando a engatinhar nesse treco...abraços grande , poeta.

    ResponderExcluir

Por favor, viaje comigo.